Menu
Detalhe da notícia
Detalhe da notícia
Efeméride: Vieira de Carvalho partiu há 18 anos
2020-06-01 13:45:00 - Ana Sofia Silva
Efeméride: Vieira de Carvalho partiu há 18 anos
Faz hoje, dia 1 de junho, 18 anos que partiu o autor da frase «Acima da Maia, só Deus». Vieira de Carvalho teria hoje 82 anos.

José Vieira de Carvalho nasceu no Lugar de Crestins, freguesia de Moreira, a 18 de abril de 1938. Licenciou-se em Histórico-Filosóficas na Universidade Clássica de Lisboa, tendo exercido a docência durante vários anos na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde regeu as cadeiras de História da Cultura Portuguesa, História Moderna e Contemporânea e História Moderna de Portugal.

Foi praticante de várias modalidades desportivas, desde o atletismo, nas modalidades de corrida de fundo (5.000 e 10.000 metros), até ao futebol, voleibol, andebol, basquetebol e ténis de mesa, participando em vários Campeonatos Regionais.


Foi Presidente da Assembleia Geral e Presidente da Direção do Futebol Clube da Maia e da Associação de Futebol do Porto. Esteve ligado a dezenas de coletividades Desportivas, tendo por esse labor recebido várias distinções, destacando-se entre estas a medalha de Bons Serviços Desportivos, atribuída por Despacho do Ministro da Educação.

A sua entrada na vida política deu-se a 14 de fevereiro de 1970, quando foi nomeado, pelo Governo de Marcelo Caetano, presidente da Câmara Municipal da Maia, cargo que exerceria até junho de 1974 e para o qual foi depois eleito em 1979, nas primeiras eleições livres e democráticas, realizadas após o 25 de Abril.


Em 1981 assumiu o cargo de Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Maia, liderando-a ao longo de 21 anos e projetando-a para a grandeza que hoje tem, mercê da sua superior inteligência e capacidade empreendedora, aliada ao seu amor e dedicação incansável aos mais fracos e desprotegidos.

Foi por diversas vezes eleito deputado à Assembleia da República, presidiu ao Conselho da Região Norte, à Junta Metropolitana do Porto e ao Conselho de Administração da Empresa Metro do Porto. Deve-se, aliás, à sua perseverança e sentido de Estado no desempenho deste último cargo, o arranque definitivo do Metro Ligeiro do Porto, cuja atual configuração é, de forma substancial, fruto da sua visão.

Na década de noventa, foi co-fundador do ISMAI - Instituto Universitário da Maia, onde ocupou os cargos de Presidente da Direcção da Maiêutica e de Presidente do Conselho Científico.

Liderou o processo de formação da Metro do Porto, SA, tendo sido seu Presidente do Conselho de Administração.


A perda do "presidente"

O autarca que presidiu à Câmara Municipal da Maia durante cerca de três décadas faleceu na tarde de 1 de junho de 2002, vítima de um problema cardíaco. Vieira de Carvalho tinha sido internado de urgência meses antes, depois de se ter sentido mal numa reunião da Junta Metropolitana do Porto. Mas, foi na sua residência que acabou por falecer.

A Maia parou para o último adeus ao “presidente”. Na tarde do dia três de junho, a Praça do Município foi pequena para os mais de 60 mil maiatos que fizeram questão de prestar homenagem ao Homem que sobrevalorizou a Maia como ninguém, um autarca que por várias vezes considerou que «Acima da Maia, só Deus».

Foi com muitos aplausos que os maiatos se despediram do autarca que mudou a Maia. No momento da saída da urna com os restos mortais do autarca que desde 1980 ocupou ininterruptamente o cargo de Presidente da Câmara Municipal da Maia, as dezenas de milhares de pessoas uniram-se num reconhecimento único que certamente ficará para a História do concelho.



Se a popularidade de Vieira de Carvalho na Maia era inquestionável, assim demonstram as suas vitórias eleitorais ao longo dos últimos 25 anos, ao longo dos quase quatro quilómetros de cortejo fúnebre, maiatos de todas as idades despediram-se do “senhor professor” de forma sentida. Crianças de várias escolas do concelho, famílias completas, idosos e muitos dos que com ele trabalharam de perto deixaram os seus afazeres e vieram para a rua para um último aceno a Vieira de Carvalho. Uns atiravam flores para a urna, outros aplaudiam, outros choravam, sentimentos mistos com apenas um denominador comum: o reconhecimento público a alguém que “fez muito pela Maia e que vai fazer muita falta a todos nós”, dizia um popular.




Recordar Vieira de Carvalho

À data do seu falecimento, foram muitas as individualidades que quiseram recordar José Vieira de Carvalho, em declarações exclusivas ao Maia Hoje.


«Constitui na minha vida a grande referência moral, ética, de honradez, de elevação e de carácter. E como já o afirmei em outras ocasiões, que não na circunstância actual, o Senhor Professor Doutor José Vieira de Carvalho tem para mim a importância e o estatuto como que de um Pai Espiritual».

António Silva Tiago,
Vice-presidente da CM Maia em 2002 e
atual Presidente da CM Maia


«O seu maior orgulho era a Maia. A Maia que ele sonhou, que ele conquistou, e que irrompeu das suas fronteiras em direcção ao cume dos Municípios. Viveu pela Maia e pela Maia morreu».

António Bragança Fernandes,
Presidente da CM Maia em 2002 e
atual Presidente da Assembleia Municipal da Maia


«O Doutor José Vieira de Carvalho foi um institucionalista. Acreditava que os homens passam e que as instituições permanecem, e defendia que quando os interesses institucionais são bons e legítimos, todos os demais interesses pessoais a eles se devem curvar».

Mário Nuno Neves,
Vereador da CM Maia

«Quando o assunto era Maia, a sua ambição quase não conhecia limites. Vieira de Carvalho tinha de facto uma forma particular, muito própria, de agir enquanto Presidente da Câmara. Apesar da extensa dedicação e empenho que colocava no exercício dessas funções, era um autarca sempre disponível para os seus munícipes».

Paulo Ramalho,
Presidente da Assembleia de Freguesia
de Folgosa em 2002 e
Atual Vereador da CM Maia

«Dedicado ao trabalho sem limites, experiente e arguto, sensível ao desenvolvimento e ao futuro, amante do bem público, amigo do seu semelhante, tolerante com os seus adversários, maiato de excepção. Um currículum notável. Um cidadão de dimensão nacional, um exemplo para os vindouros».


Domingos Oliveira e Silva,
Presidente do Conselho Diretivo do ISMAI



Topo
Ir para maiahoje.pt
Pesquisar
© 2012 Maia Hoje - Portugal Interactivo